Timor-Leste: Díli vai continuar com cerca sanitária

O Governo de Timor-Leste decidiu nesta quarta-feira, 22 de setembro, que vai manter a cerca sanitária em Díli, capital do país, por mais sete dias. Entretanto, a cerca foi levantada em três município.

“O Conselho de Ministros decidiu não estender as cercas sanitárias nos municípios de Baucau, Covalima e Ermera, que terminam hoje às 23h59. No entanto, renovou a cerca sanitária no Município de Díli por mais sete dias”, informou o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fidelis Magalhães, em Díli.

A decisão foi tomada depois de ter sido ouvida a apresentação do Centro Integrado de Gestão de Crises (CIGC) acerca do ponto de situação da Covid-19 no país, como é habitual.

Os profissionais de saúde consideram positivo o aumento da vacinação nas semanas anteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

MPLA, FRELIMO, ANC e SWAPO querem formação contínua dos militantes

Militantes e delegados dos partidos MPLA (Angola), FRELIMO (Moçambique), ANC (África do Sul) e SWAPO (Namíbia) terminam neste sábado, 26…
Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

Moçambique: Autarquias locais mantêm dependência do OE

O presidente da Comissão de Administração Pública e Poder Local da Assembleia da República de Moçambique, Francisco Mucanheia, chefiou um…
Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

Timor-Leste: Construção do Porto de Tíbar alcançou os 72% em 2021

O Ministério das Finanças de Timor-Leste informou, através de um documento, que a construção do Porto de Tíbar chegou a 72%…
Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin