Timor-Leste e Austrália ligados através de fibra ótica submarina

O Conselho de Ministros de Timor-Leste aprovou nesta quarta-feira, 04 de novembro, a implementação da ligação digital à Austrália. Tal será feito através de um sistema de cabo submarino de fibra ótica. 

O plano foi apresentado pelo vice-primeiro-ministro e ministro do Plano e Ordenamento, José Maria dos Reis. 

“O sistema de cabo submarino de fibra ótica surge na sequência do projeto de ligação digital de Timor-Leste, com ligação direta às cidades de Darwin e Port Hedland, na Commonwealth da Austrália”, afirmou o governante Fidelis Magalhães no Palácio do Governo. 

Com esta opção pretende-se uma conectividade mais segura e de qualidade entre os dois países, bem como o desenvolvimento da economia digital nacional. Desta forma serão promovidos os direitos económicos, a soberania e a segurança cibernética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

As negociações entre a Ucrânia e a Rússia foram adiadas para esta quinta-feira, 03 de março.  A delegação ucraniana está…
Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

O primeiro-ministro português, António Costa, manifestou publicamente ao Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, a sua gratidão pelo apoio prestado na…
Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

O Procurador-geral da República (PGR) pediu aos magistrados para estarem atentos às pessoas que procuram vias fáceis para enriquecer, às…
Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

A Renamo e o MDM, partidos moçambicanos da oposição, condenam a invasão da Rússia à Ucrânia. Ambos criticam o “silêncio”…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin