Timor-Leste: Ex-padre candidato à Presidência focado na educação

O ex-padre Martinho Gusmão, que foi ‘dispensado’ pelo Vaticano para poder candidatar-se às eleições presidenciais em Timor-Leste, partilhou que tem como prioridade realizar “uma revolução na educação”. A afirmação foi feita em entrevista à “Lusa”. 

Segundo o candidato, os timorenses estão mentalmente colonizados por si próprios. “Conseguimos deitar fora o colonialismo, mas somos mentalmente colonizados por nós próprios. Temos de começar a falar na nossa própria linguagem. Ainda não conseguimos construir a nossa própria linguagem de ser timorenses ou ‘timores’. A nossa identidade ainda não foi forjada”, observou. 

Martinho Gusmão referiu que a sua candidatura é resultado de um percurso natural, que começou na infância e consolidou-se na altura em que se tornou padre. Tinha muitos escritos, várias intervenções públicas acerca da situação do país, mas “não interessavam a ninguém”

“E depois via que a minha análise era dita e feita. Mas não basta teoria, é preciso coragem de atos”, defendeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin