Timor Leste

Timor-Leste: Ex-Presidente considera que eleições antecipadas não beneficiam o país

José Ramos-Horta

ex-Presidente da República de Timor-Leste José Ramos-Horta afirmou em entrevista que não interessa a ninguém no país que haja eleições antecipadas e disse estar confiante de que a liderança nacional conseguirá ultrapassar a atual crise política levantada pelo chumbo ao Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2020. 

Para o político, a ideia de eleições antecipadas deveria ficar assim fora da equação na solução para o atual problema. Ramos-Horta mantém a sua esperança no chefe de Estado, Francisco Guterres Lu-Olo, e em Xanana Gusmão, Mari AlkatiriTaur Matan Ruak e Mariano Sabino, dirigentes dos partidos com maior representatividade em Timor-Leste. 

As declarações surgem após o chumbo da proposta de OGE para este ano, o que ocorreu na passada sexta-feira, 17 de janeiro. Tal deveu-se aos votos contra e às abstenções do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), maior partido da Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), a coligação do Governo. 

Recorde-se que o primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, afirmou depois da sua reunião com Lu-Olo, realizada nesta segunda-feira, dia 20, que a AMP “já não existe” após o sucedido. 

A Presidência da República deverá começar a ouvir nesta semana os partidos e outros líderes nacionais antes do Conselho de Estado, tendo Matan Ruak instruído os membros do Governo a que continuem a cumprir as suas funções com normalidade.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo