Timor-Leste formaliza candidatura a membro do Conselho de DH da ONU 

O Ministério da Justiça de Timor-Leste formalizou nesta quinta-feira, 10 de fevereiro, a candidatura do país a membro do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para o período de 2024 e 2026. 

“Formalizámos já a nossa candidatura a membro do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. O conselho irá então ponderar para tomar uma decisão final prevista para o próximo ano. Temos de trabalhar com determinação para obtermos o maior número de apoio por parte de outros países, incluindo o deste conselho”, partilhou o ministro da Justiça, Manuel Cárceres, citado pela “Tatoli”. 

O governante disse que os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e outros da Ásia mantêm o apoio à candidatura de Timor-Leste. 

“Quanto à campanha, terá apenas lugar no próximo ano”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin