Timor-Leste: Lu-Olo quer reduzir dependência da importação

O chefe de Estado timorense, Francisco Guterres Lu-Olo, manifestou a vontade de ver o país reduzir a dependência da importação e pediu mais investimento na agricultura.

“O Estado timorense tem de criar condições para o país diminuir a dependência da importação. Temos, por isso, de dar prioridade ao setor agrícola, nomeadamente à agricultura familiar”, disse, citado pela “Tatoli”.

Ainda de acordo com o Presidente da República, são importados produtos de primeira necessidade, o que gera “uma grande despesa”. “O nosso país não é soberano enquanto não obtivermos soberania alimentar”, alertou.

Também o ministro da Agricultura e Pescas, Pedro dos Reis, já tinha dito recentemente que o Governo pretende diminuir a importação no país. Tal terá de ser feito através de “uma parceria com várias entidades”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin