Timor-Leste: Oposição critica na prática medidas contra a Covid-19

Pixabay License Grátis para uso comercial Atribuição não requerida

O Governo de Timor-Leste defendeu nesta terça-feira, 12 de janeiro, as medidas de prevenção e mitigação da Covid-19 que tem vindo a aplicar, o que inclui as restrições inseridas no Estado de Emergência.

A posição foi exposta no Parlamento Nacional, onde o tema da pandemia foi debatido a pedido do Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), numa altura em que o país se encontra no nono Estado de Emergência.

Segundo o vice-primeiro-ministro, José Reis, tratam-se de regras necessárias desde o início da pandemia para “evitar transmissão comunitária e salvar a vida da população”. 

Devido às “fragilidades conhecidas do setor da saúde”, o Governo teve de adotar “esta estratégia para minimizar o risco da entrada e disseminação do vírus”. No entanto, continuou, tem havido o cuidado de atenuar os efeitos económicos, através da cesta básica, de apoio dado às empresas e a trabalhadores do setor informal, entre outros. 

Oposição critica atuação do Governo 

Por sua vez, a oposição criticou diversos aspectos da implementação das medidas de combate à Covid-19, incluindo dos programas económicos. 

O chefe da bancada do CNRT, Duarte Nunes, pediu ao Governo que esclarecesse a situação atual, mencionando problemas com a execução do Fundo Covid-19, o pagamento a trabalhadores da linha da frente e as medidas de recuperação económica. 

Outros deputados do partido interrogaram igualmente o Governo quanto aos problemas que têm sido denunciados com o programa da Cesta Básica, entre outros, que prevê a atribuição de produtos essenciais ou de um ‘voucher’ no valor de 25 dólares (20 euros) por pessoa. Isto porque têm sido reportadas muitas queixas e problemas sobre a qualidade de alguns produtos e do valor dos mesmos. 

Há também denúncias de que autoridades locais estão a cobrar às famílias para que possam receber a cesta básica. 

“Falam das medidas de prevenção, mas no terreno isso não se aplica. Vemos gente sem máscara, sem distanciamento social, sem lavagem de mãos”observou ainda o deputado Adérito Hugo da Costa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo fará primeiro encontro em Lisboa diante de autoridades e de olho em novas geografias

Rede das Câmaras de Comércio Portuguesas no Mundo fará primeiro encontro em Lisboa diante de autoridades e de olho em novas geografias

Entre os dias 6 e 7 de junho, acontece em Lisboa, Portugal, a primeira edição do Encontro Anual da Rede…
África do Sul: Inundações deixam 12 mortos na província de Cabo Oriental e cidade de Durban

África do Sul: Inundações deixam 12 mortos na província de Cabo Oriental e cidade de Durban

Pelos menos doze pessoas perderam a vida e outras quatro estão desaparecidas, em consequência de inundações que devastaram, esta segunda-feira,…
Moçambique: Nyusi reúne-se com homólogo sul-coreano

Moçambique: Nyusi reúne-se com homólogo sul-coreano

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, reuniu-se à porta fechada com o homólogo sul-coreano, Yoon Suk-yeol, nesta segunda-feira, 03…
Brasil: Seminário on-line vai discutir “diálogo e cooperação” entre as Bibliotecas Nacionais do Brasil e dos PALOPs

Brasil: Seminário on-line vai discutir “diálogo e cooperação” entre as Bibliotecas Nacionais do Brasil e dos PALOPs

Na próxima quinta-feira, dia 6, a partir das 10h, a Fundação Biblioteca Nacional (FBN), entidade vinculada do Ministério da Cultura…