Timor Leste

Timor-Leste: Regresso de timorenses e casos assintomáticos agravam Covid-19

O porta-voz do Gabinete de Gestão de Crise da Covid-19, Rui Maria de Araújo, afirmou que o regresso de timorenses da diáspora, principalmente aqueles que chegam através da fronteira terrestre com a Indonésia, e a existência de eventuais casos assintomáticos, já no país, são as piores situações de risco para que a pandemia alastre em Timor-Leste.

Apesar de os voos comerciais para Díli, capital timorense, estarem atualmente suspensos, centenas de pessoas continuam a chegar à fronteira terrestre que divide a ilha, com as autoridades a permitirem que alguns grupos entrem no território.

O governante disse ainda que quem entra no país é levado para locais de quarentena criados pelo Governo. Esta situação, explicou, faz com que se pondere em duas alternativas, que são suspender a entrada dos timorenses pela fronteira durante algum tempo ou melhorar as condições de confinamento obrigatório e dos exames laboratoriais para os grupos de maior risco, entre os quais idosos, asmáticos e diabéticos, entre outros.

No entanto, frisou, é essencial que as pessoas se isolem voluntariamente e cumpram o distanciamento social e físico, independentemente da situação atual.

De acordo com os dados mais recentes, as autoridades comprovaram um caso positivo e cerca de 45 casos negativos, estando à espera de resultados em quatro outros casos suspeitos. Encontra-se em confinamento obrigatório, em estruturas preparadas pelo Governo, um total de 884 pessoas, além de 74 estarem em autoconfinamento em casa.

Já completou o processo de período de quarentena obrigatória de 14 dias um total de 736 pessoas, das quais 616 em Díli e 119 nos vários municípios.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo