Mundo

ACNUR: Covid-19 parcialmente responsável pelo aumento da violência contra as mulheres

A pandemia de Covid-19 exacerbou a violência de género, já que mulheres e meninas continuam presas a parceiros abusivos devido à perda maciça de empregos durante o período, alertou o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, esta quarta-feira, à margem do Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres em 2020.

“Estamos a receber relatos alarmantes de aumentos acentuados nos riscos de violência de género, incluindo violência por parceiro íntimo, tráfico, exploração sexual e casamentos infantis”, relatou Grandi.

“Foram perdidos empregos, as tensões estão a aumentar, a violência entre parceiros íntimos está a agravar, as oportunidades de sustento são escassas e as restrições de movimento estão a tornar difícil os sobreviventes denunciarem o abuso e pedirem ajuda”.

O ACNUR relata que no noroeste e sudoeste dos Camarões, 26% dos incidentes de violência de gênero registados desde o início da pandemia estão relacionados com crianças.

Na República Centro-Africana, onde um quarto da população está deslocada, é registado por hora um incidente de violência de género.

A situação também afetou refugiados, mulheres e meninas deslocadas e apátridas.

O ACNUR observou que lidar com a violência de género requer uma resposta combinada envolvendo autoridades nacionais, parceiros humanitários, sociedade civil e as próprias mulheres, meninas, homens e meninos deslocados à força.

A agência instou os doadores a continuar a oferecer apoio para preservar e impulsionar os serviços essenciais de prevenção e resposta.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo