África Subsaariana

África do Sul: Filho de Jacob Zuma acusado de participar em “actos de corrupção”

Duduzane Zuma, filho do ex-presidente da África do Sul, Jacob Zuma, foi ontem acusado de corrupção, por ter alegadamente participado num encontro com Ajay Gupta e Mcebisi Jonas, o então vice-ministro sul-africano, em abril de 2015.  

Neste encontro Ajay Gupta terá proposto o cargo de ministro das Finanças a Jonas, tendo o ex-vice-ministro referido no seu depoimento ter-lhe sido oferecido um “envelope de 600 milhões de rands” (38 milhões de euros) de forma a garantir a sua “lealdade” aos irmãos Gupta.  

Ajay Gupta negou a acusação do então vice-ministro Mcebisi Jonas.  

Rudy Krauss, advogado de Duduzane Zuma disse que o filho do ex-presidente sul-africano “está inocente, claro, é o que vamos defender”.  

A próxima audiência está marcada para 24 de janeiro do ano que vem.  

Duduzane Zuma saiu em liberdade pagando uma fiança de 6.500 euros, segundo o que decretou o tribunal de Joanesburgo.  

Refira-se que os irmãos Gupta estão na África do Sul desde 1993, provenientes da Índia, e têm sido acusados de aproximação “ilícita” e “benefício” por parte do ex-presidente Jacob Zuma, obtendo dessa forma contratos “ilícitos”.

Em fevereiro passado, Fikile Mbalula, ministro sul-africano da Polícia, anunciou a emissão de um mandato de captura para Ajay Gupta, declarado como fugitivo do país. 

À data, o filho de Jacob Zuma, agora acusado de corrupção, já constava da lista de suspeitos procurados pelas autoridades policiais, indiciado como um associado de negócios dos irmãos Gupta.  

Na mesma altura, Jacob Zuma renunciou ao cargo de presidente da África do Sul, após pressão por parte do Congresso Nacional Africano (ANC), devido às suas ligações a diversos casos de corrupção. 

O ex-presidente sul-africano é acusado de 16 crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude. 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo