África Subsaariana | Crise | Segurança

África marcada por ameaças jihadistas

O Boko Haram foi recentemente classificado como a organização terrorista mais mortal do mundo – superando até mesmo o chamado Estado Islâmico (EI) – mas está longe de ser o único grupo jihadista que representa uma ameaça para a estabilidade em África.

Segundo os militares nigerianos, as tropas estão ativas na destruição de dezenas de acampamentos do Boko Haram. Os terroristas suspeitos são frequentemente detidos e os sequestrados são libertados. Tem havido um progresso significativo em reduzir as mortes pelos rebeldes e evitar que se apropriem dos territórios – tendo em conta que neste período do ano passado, a seita controlava grande parte do estado do nordeste, Borno.

No entanto, não deve ser visto como uma fraqueza por parte do Boko Haram. Os ataques continuam esporadicamente em toda a região, tanto na forma de bombardeios e ataques a ambos os alvos: militares e civis.

Do outro lado da fronteira, a Força de Reacção Rápida da República dos Camarões (BIR) também sofreu enormes retrocessos na luta.

A Nigéria não pode ignorar o grande número de rebeldes ou as capacidades táticas presentes nas suas fileiras. Com a continuação da violência, o Presidente Muhammadu Buhari aceitou que a meta que ele estabeleceu para os militares para acabar com o conflito até o final do ano não é possível. Em comunicado, disse: “O calendário deve servir como um guia e se a exigência de várias operações em todo o país aconselha a uma modificação , o governo federal não hesitará em fazê-lo, a fim de tratar de novos focos que estão a surgir em algumas partes do país . “

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo