África Subsaariana | Diplomacia

Angela Merkel de visita oficial ao Gana

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, chegou ao Gana na quinta-feira no âmbito de uma visita oficial a três nações da África Ocidental com o objetivo de impulsionar o investimento numa região que é uma importante fonte de migrantes que viajam para a Europa.

“Acredito firmemente que só pode haver uma União Européia próspera se pudermos lidar com as questões de migração e as questões de parceria com a África”, disse a líder da maior economia da Europa após sair do encontro com o presidente ganês, Nana Akufo-Addo.

Merkel viaja com quase uma dúzia de CEOs alemães para ajudar a promover os laços comerciais. Um memorando de entendimento foi assinado pela Volkswagen South Africa para construir uma fábrica de montagem no Gana.

A líder alemã esteve primeiro no Senegal, outra das economias que mais crescem na África, e seguirá para a Nigéria, o país mais populoso de África e um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

As chegadas de migrantes à Europa através do Mediterrâneo, vindas de África e da Turquia, estão no nível mais baixo em cinco anos, mas a questão permanece sensível. Merkel, que se recusou a fechar as fronteiras da Alemanha no auge da crise dos imigrantes em 2015, endureceu a sua posição recentemente para salvar o seu governo de uma ruptura sobre o assunto.

Alguns países da Europa acreditam que investir mais na África Ocidental ajudará a manter as pessoas numa região atormentada pelo desemprego, fracas infraestruturas, extremismo crescente e atualmente os efeitos da mudança climática.

O presidente do Gana observou que os migrantes que estão ilegalmente na Alemanha gostariam de permanecer lá, se tiverem essa possibilidade. Mas cabe ao governo alemão resolver o problema, “devemos abordar a questão dos migrantes ilegais de maneira mutuamente acordada”, disse ele.

Akufo-Addo também fez um pedido para mais investimentos, dizendo que “quanto mais fortes somos, melhor é para os nossos jovens ficarem”.

O Senegal e o Gana são dois dos países mais estáveis de África. Ambos assinaram a iniciativa Compact with Africa para promover o investimento privado que a Alemanha lançou no ano passado durante a presidência do G20, países industrializados e em desenvolvimento.

Um número de líderes mundiais incluindo o presidente francês Emmanuel Macron, o presidente chinês Xi Jinping e, esta semana, a primeira-ministra britânica Theresa May visitaram a África Ocidental nos últimos meses com uma combinação de negócios, segurança e migração em mente.

A comunidade internacional tem interesse não apenas no crescente potencial económico da África Subsaariana, mas também na sua crescente população, que deve duplicar até 2050.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo