África Subsaariana | Economia | Magrebe | Sahel

Diretor da agência da ONU elogia Jack Ma por ajudar o e-commerce africano

O chefe de uma agência da Organização das Nações Unidas referiu na terça-feira no Fórum Público de 2018 da Organização Mundial do Comércio (OMC) como Jack Ma, da China, ajudou a sua organização a superar o abismo digital com o treinamento empresarial de e-commerce.

O secretário-geral da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Mukhisa Kituyi, disse que desde 2004 a UNCTAD foi responsabilizada, dentro do sistema das Nações Unidas, de administrar a economia digital, controlando-a e fazendo sugestões políticas para os países em desenvolvimento.

Kituyi observou que, com o fundador do Alibaba, Jack Ma, como conselheiro especial da UNCTAD no comércio eletrónico, realizaram uma iniciativa com 40 jovens empreendedores da Internet.

Ma estava na sessão representando a Plataforma de Comércio Eletrónico Mundial e ajudou a levar esses 40 jovens para o Campus Alibaba em Hangzhou, China, para formação em como construir a visibilidade do mercado eletrónico.

“Até agora, formamos três turmas de África”, disse Kituyi, a segunda turma do Leste Asiático, que será seguida por grupos do Médio Oriente e da Ásia Ocidental e depois da América Latina.

Louvando Ma, Kituyi sublinhou “Estamos a mostrar como uma grande corporação e uma organização pública como a UNCTAD podem se unir e fazer parte da frente empresarial de jovens adultos”.

Na mesma sessão do fórum, o embaixador do Malauí na ONU em Genebra, Robert Dufter Salama, lembrou que, embora muitos acreditem que a Internet oferece oportunidades para os países menos desenvolvidos (PMDs), o “maior desafio que enfrentamos é a exclusão digital”.

“Não há eletricidade em todos os lugares e 62% das pessoas nos países menos desenvolvidos não têm acesso a computadores”, disse Salama.

Outros fatores de exclusão são a alfabetização e a falta de concorrência com os operadores de serviços de tecnologia da internet, juntamente com os sistemas postais subdesenvolvidos.

Ma retorquiu que o seu negócio tinha começado numa parte da China onde as infraestruturas não estavam desenvolvidas. “Em muitos países africanos vocês têm telemóveis. O telemóvel é melhor que um computador. ”

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo