Gabão envia carregamento “histórico” de 26.000 m3 de madeira destinado à China

O ministro da Água, Florestas e Mar testemunhou na terça-feira, na área portuária de Owendo o “carregamento histórico” destinado à China, de 26.000 m3 de madeira, assinalando a retomada gradual das atividades neste setor, que representou 5% do PIB em 2019.

Destinado à China, o primeiro parceiro do Gabão com um volume comercial estimado de 2.137,5 mil milhões de FCFA em 2019, o “carregamento histórico” de mais de 26.000 m3 de madeira, destacou o recomeço das atividades num dos setores mais prolíficos da economia gabonesa, que, fortemente afetado pelo Covid-19, vinha a desacelerar há vários meses.

Como Lee White apontou, “esse carregamento histórico mostra que, apesar da crise de saúde do Covid-19, a indústria florestal continua a movimentar e as exportações para a China estão a começam a retomar“.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Portugal é um dos 5 países de onde partem mais turistas para aproveitar o Verão brasileiro

Portugal é um dos 5 países de onde partem mais turistas para aproveitar o Verão brasileiro

Mais de 1,28 milhão de turistas estrangeiros estão com bilhetes aéreos comprados para apreciar o verão brasileiro. O levantamento é…
Cabo Verde tem valorização do dólar como um dos principais riscos orçamentais

Cabo Verde tem valorização do dólar como um dos principais riscos orçamentais

Cabo Verde tem como dois dos principais riscos orçamentais o Setor Empresarial do Estado e o impacto da contínua valorização…
Angola: Governo quer retirar 25 empresas do programa de privatização

Angola: Governo quer retirar 25 empresas do programa de privatização

O Governo angolano prevê a retirada de 25 empresas e ativos do programa de privatização, por razões diversas.  A informação…
Países da CPLP diminuíram mortalidade infantil nos últimos 30 anos

Países da CPLP diminuíram mortalidade infantil nos últimos 30 anos

Todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) diminuíram a mortalidade infantil nos últimos 30 anos, segundo a…