África Subsaariana

Gabão: RHM muda de nome para RPM

O Movimento Herança e Modernidade (RHM ), cujo líder é Alexandre Barro Chambrier decidiu, depois do primeiro congresso extraordinário realizado em 5, 6, e 7 de Abril,  mudar o seu nome para Movimento para a Pátria e Modernidade (RPM).

A mudança de nome deve colocar um fim ao bicefalismo  prevalecente no partido fundado em 2016 por ex-membros dissidentes do Partido Democrático Gabonês (PDG).

Michel Menga M’Essone, membro fundador e secretário-geral da RHM, foi expulso do partido por ter aceitado a entrada no Governo em 4 de maio de 2018. Segundo o interessado, as disposições dos estatutos do partido proibem excluir um membro fundador. A situação ficou bloqueada desde então. Houve formalmente duas tendências no movimento, que até participaram das legislativas de outubro de 2018.

“Considerando a confusão deliberadamente mantida na opinião pública sobre o posicionamento do partido, considerando a necessidade de uma linha política clara, como parte da implementação do partido, considerando os objetivos estratégicos prosseguidos pelo partido para os próximos anos, os militantes do Movimento Património e Modernidade reunidos em Libreville a 5, 6 e 7 de Abril 2019, decidiram claramente reafirmar as suas raízes numa oposição que rejeita fortemente a utopia, mas refuta firmemente os compromissos com o poder”, disse o relator Geral, Pierre Ndong Meyé, lendo as resoluções do congresso.

Os congressistas não deixaram de denunciar muitas “violações dos direitos humanos e manipulação da Constituição, a negação dos direitos e liberdades fundamentais”, e reiteraram seu compromisso para se libertar de “obscurantismo, o nepotismo, amadorismo, para a alternância e mudança com vista a um novo Gabão.”

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo