África Subsaariana | América do Norte

Gâmbia: Barrow renova apoio ao TPI e insta os EUA a revogar as sanções

O Presidente da Gâmbia, Adama Barrow, reiterou o apoio ao Tribunal Penal Internacional (TPI) e pediu aos Estados Unidos que revogassem as sanções impostas à instituição e aos seus funcionários, sustentando que o respeito pelo Estado de direito beneficia todos os estados democráticos.

“Além disso, renovamos o nosso interesse no caso apresentado ao Tribunal Internacional de Justiça sobre a situação do povo Rohingya em Mianmar. Nesse esforço, contamos com o apoio e esforços da Organização para a Cooperação Islâmica e todos os parceiros genuínos para garantir que a justiça seja feita em Mianmar”, disse Barrow num discurso no debate geral da 75ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas.

“Para promover relações amistosas entre os Estados, a Gâmbia apela à normalização das relações entre Cuba e os Estados Unidos. Na mesma linha, endossamos totalmente a política de uma só China e esperamos uma cooperação internacional mais forte e mutuamente benéfica com a República Popular da China”.

Representação da África no Conselho de Segurança da ONU

Barrow também pediu uma maior representação da África no Conselho de Segurança da ONU. “Ao celebrarmos os setenta e cinco anos de existência desta Organização democrática, é um paradoxo que a África ainda esteja a negociar uma representação no Conselho de Segurança. No entanto, grande parte da sua agenda afeta o continente africano. Certamente, a voz da África no Conselho irá construir confiança e reforçar a legitimidade das suas decisões”.

O chefe de Estado também referiu a economia da Gâmbia, dizendo que a economia da Gâmbia encolheu para 2% do PIB e continua a contrair. “O nosso setor de turismo, que é um grande empregador e gerador de divisas, está devastado e o desemprego está a aumentar rapidamente.”

“Nesta situação complexa, o meu Governo, com o apoio de parceiros, instituiu programas de proteção social para atenuar o impacto adverso sobre o nosso povo. Essas intervenções não são sustentáveis sem apoio externo”, apelou.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo