África Subsaariana

Gâmbia: EUA querem confiscar mansão de Yahya Jammeh

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) quer confiscar uma mansão pertencente ao ex-presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh. Os procuradores norte-americanos alegam transações por suposta corrupção.

O ex-presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, comprou 281 propriedades com dinheiro alegadamente desviado do tesouro público. A queixa foi apresentada pelos procuradores norte-americanos que tentam confiscar uma das suas mansões.

A mansão em questão está localizada na cidade de Potomac, uma cidade elegante nos arredores da capital americana, Washington.

Segundo os procuradores, o imóvel, descrito como sumptuoso, está avaliado em 3,5 milhões de dólares e deve ser confiscado porque a sua compra foi possível devido à corrupção.

Os Estados Unidos não permitirão que quem comete crimes beneficie disso e faremos justiça às vítimas aqui e no exterior“, disse Robert Hur, procurador federal.

Segundo a denúncia, o ex-presidente Jammeh abriu “mais de 100 contas bancárias” durante os 20 anos que esteve à frente da Gâmbia.

Jammeh chegou ao poder em 1994 após um golpe, e foi para o exílio em 2016, depois de ter sido derrotado nas eleições por Adama Barrow, o atual presidente. Atualmente o ex-presidente vive na Guiné Equatorial.

Em 2017, Jammeh foi colocado na lista de sanções dos EUA por supostas violações de direitos humanos.

O pedido de apreensão foi feito perante um tribunal federal localizado no estado de Maryland.

Recorde-se que o ex-presidente gambiano foi acusado por grupo de investigadores da Organized Crime and Corruption Reporting Project, de roubar 1 mil milhão de dólares durante os 22 anos que esteve no poder.

Os EUA, onde Jammeh também comprou propriedades, proibiram o ex-líder de entrar no país devido a suspeitas de “corrupção significativa”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo