África Subsaariana

Gâmbia: Gambianos protestam contra as mortes de George Floyd e Modou Lamin Sisay

Os gambianos protestaram no sábado exigindo justiça pelos assassinatos dos afro-americanos George Floyd, e Modou Lamin Sisay, gambiano que vivia na Geórgia, às mãos da polícia americana.

Momodou Lamin Sisay, um gambiano de 39 anos, morreu em 29 de maio no nordeste de Atlanta, quatro dias após o assassinato de George Floyd. Os eventos provocaram indignação global contra o tratamento de negros nos Estados Unidos.

O protesto no sábado começou na Mesquita Pipeline e terminou na Embaixada Americana em Banjul. O slogan e as faixas exibidas durante o protesto foram: “Black Life Matters;” “Diga não ao racismo e à brutalidade policial;” “Eu não consigo respirar;” “Sem justiça, sem paz;” “Resista ao racismo;” “Eu não sou uma ameaça;” “Estamos aqui para protestar por nossos direitos;” e “Justiça para George Floyd” entre outros.

A maneira como Floyd foi assassinado é um ato de provocação e desprezo que vem a ocorrer nos Estados Unidos há séculos. Sempre que protestamos, eles riem-se e dão desculpas esfarrapadas, justificações e contra-argumentos, e o racismo, a discriminação e o assédio continuam”, de acordo com uma declaração lida por Momodou King Colley.

No fundo, não estamos aqui para apelar aos Estados Unidos para que respeitem e protejam os direitos dos negros, mas estamos a exigir isso. Caso contrário, o governo dos Estados Unidos deve se questionar se querem viver isolados. Não podemos e não permitiremos que as suas embaixadas operem nos nossos países enquanto continuam a tratar os negros com total desrespeito e desprezo”, afirmou Colley, pedindo ao governo dos Estados Unidos que garanta que a justiça seja cumprida no caso de George Floyd, Lamin Sisay e outros.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo