África Subsaariana

Gâmbia: Pastor pede inclusão do secularismo na nova constituição

O pastor da Light and Salt Crystal pediu aos membros da Comissão de Revisão Constitucional (CRC) que incluam o tão falado ‘secularismo’ no rascunho final da constituição do país.

“O que o Conselho Cristão está a pedir para ser incluído na constituição final é que a Gâmbia seja uma república secular e soberana, com diversas comunidades étnico-linguísticas e de liberdade religiosa com oportunidades iguais e garantindo liberdade interétnica, política e religiosa para a coesão social” explicou o Pastor Seal S. Jammeh.

O Pastor falava em Kerewan na NBR, durante o segundo dia da viagem de consultas públicas do CRC, destinada a dar aos gambianos mais uma vez a oportunidade de propor e fazer recomendações para incorporação no projeto final de constituição.

“O país”, acrescentou, “pertence a todos nós, independentemente das diferenças religiosas, somos todos iguais, portanto, é necessário incluir o secularismo no rascunho final”.

O chefe do CRC, o juiz Cherno Sulayman Jallow, deixou claro que o esboço da constituição não significa necessariamente que é a constituição final.

“O nosso objetivo de vir aqui é fazer consultas com o objetivo de nos permitir obter contribuições sobre o rascunho. Se acha que algo está no rascunho da constituição que não deveria estar lá, ou que algo precisa ser incluído no rascunho final, pode criá-lo”. “Apenas quero deixar claro que a palavra secular nunca esteve nas nossas constituições anteriores”, lembrou.

Jallow explicou que o projeto de constituição deixou claro que nem mesmo um presidente ou a Assembleia Nacional terá o direito de declarar que determinada religião é mais importante que a outra no país.

“Quero agradecer aos membros do CDC por um trabalho brilhante. No entanto, quero que o limite de idade para presidente passe de 30 para 40 anos. Todos nós estamos a assistir aos testemunhos do TRRC. A maioria das testemunhas que compareceram perante a comissão está a afirmar que algumas das atrocidades que cometeram foram resultado do fato de serem jovens. Portanto, para termos um bom líder, a pessoa deve ter pelo menos 40 anos e no máximo 75”, opinou Ousainou Sane, de Njawara.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo