África Subsaariana

Guiné-Conacri: Alpha Condé declara estado de emergência devido à pandemia de Covid-19

PR Alpha Condé

Alpha Condé declarou o estado de emergência em toda a extensão do território guineense a partir da noite de ontem, quinta-feira, às 00H, por um período renovável de um mês.

O presidente guineense especificou que todas as fronteiras terrestres estão fechadas (entrada / saída) para todos os viajantes, exceto para o transporte de mercadorias por um período de trinta (30) dias renováveis.

Na sua declaração ao país, o Chefe de Estado informou que “o estado de emergência é declarado em todo o território nacional a partir desta noite, às 00H, com duração renovável de um mês, de acordo com as disposições constitucionais.

Todas as fronteiras terrestres estão fechadas (entrada / saída) para todos os viajantes, excepto para o transporte de mercadorias por um período de trinta (30) dias renováveis. Para o transporte de mercadorias, o número de transportadores é limitado a 2 assistentes e 1 motorista. Ao entrar no território nacional, estarão sujeitos a controlo durante quatorze (14) dias. O controlo pode continuar na Guiné ou no país de origem, sob a coordenação das autoridades dos dois países.

O transporte público na cidade de Conacri estará sujeito a uma limitação de passageiros: 3 passageiros de carro, 1 de motocicleta e 7 a 10 de minibus.

Em relação aos locais públicos, todos os estabelecimentos de educação pré-escolar, básico, secundário e universitários serão encerrados por um período de catorze (14) dias, renováveis se necessário.

Todos os bares, salas de jogos, teatros, cinemas e outros locais de encontro serão encerrados por um período de catorze (14) dias, renováveis.

O acesso a locais públicos e privados (mercado, restaurantes, bancos, etc.) estará sujeito ao cumprimento das regras de barreiras sanitárias (instalação de kits de lavagem das mãos, distância de 2 metros, etc.).

Todas as reuniões são limitadas a vinte (20) pessoas.

Todas as conferências internacionais planeadas na Guiné estão suspensas ou adiadas até novo aviso.

Os ateliers e formações realizados no país não devem ter mais de (20) participantes no máximo e serão organizados em condições que respeitem a distância física entre os participantes e o respeito às medidas de barreiras sanitárias. Quaisquer exceções a essa decisão exigirão a aprovação prévia do Ministério da Saúde.

Todas as competições desportivas e eventos culturais são proibidos.

Todas as viagens não essenciais a países onde tenham sido confirmados mais de 50 pacientes com COVID 19 serão adiadas.

Os locais de culto (mesquitas e igrejas) são fechados por um período de catorze (14) dias, renováveis.

As cerimónias religiosas ou retiros islâmicos são proibidos.

O não cumprimento dessas medidas pode ser seguido por medidas disciplinares“.

O presidente guineense sublinhou também que em cada localidade, as autoridades administrativas competentes e a polícia estarão incumbidas de fazer com que as medidas sejam rigorosamente cumpridas.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo