África Subsaariana

Guiné-Conacri: Filho do ex-presidente Sékou Touré e esposa condenados por trabalho forçado

O filho do ex-presidente Sekou Toure, Mohamed Toure, e sua esposa Denise Cros-Toure, foram considerados culpados de terem submetido uma rapariga guineense a trabalho forçado durante 16 anos, conspiração para hospedar estrangeiros e hospedagem de estrangeiros.

O casal supostamente forçou a jovem chamada Diena Jalo, chegada há 5 anos ao Texas, a praticar tarefas domésticas como cozinhar, lavar, jardinar, cortar a relva ou pintar a casa.

Diena também foi forçada a cuidar dos cinco filhos do casal sem pagamento e às vezes com punição corporal quando o trabalho foi considerado insatisfatório.

O casal também confiscou os documentos da vítima para impedi-la de regressar à Guiné-Conacri.

“Os acusados visaram uma jovem extremamente vulnerável. As suas ações desprezíveis incluíam maltratá-la cruelmente, forçando-a a trabalhar em casa durante anos sem pagamento, escondida, e roubá-la da sua infância”, declarou o vice-procurador-geral Eric Dreiband.

Mohamed Touré é filho do primeiro presidente guineense, Ahmed Sékou Touré, que ocupou o cargo desde 1958 até à sua morte em 1984.

O casal incorre numa pena de 20 anos de prisão.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo