África Subsaariana

Guiné-Conacri: Mais de 40% dos casos positivos de coronavírus não estão sinalizados

A Guiné-Conacri continua a registar casos de contaminação comunitária de Covid-19. O epidemiologista Solomon Corvil, consultor residente do Programa de Formação em Epidemiologia no Terreno, diz que isso se deve à recusa de pessoas com teste positivo para o coronavírus serem admitidas num centro de tratamento.

“Se tiver sintomas ou não, pode propagar a doença. Portanto, é necessário isolar todos. Se for positivo, fique isolado, use máscaras ‘‘, aconselhou o epidemiologista.

Solomon Corvil sublinhou que, no contexto atual “podemos encontrar uma família inteira que está infetada. Simplesmente porque uma pessoa com resultado positivo não queria ser isolada. Se se quer cortar a cadeia de transmissão, as pessoas precisam ficar isoladas“.

Desde o início da resposta, acredita-se que dos 2.298 casos confirmados registados no país, “apenas 1.344 foram isolados. Entre eles, alguns já estão curados. Outros ainda estão hospitalizados. Quando fazemos o cálculo, dá 58,5%. Isso significa que existem mais de 40% [de testes positivos] sem vigilância e transmitindo a doença ”.

“Embora cerca de 40% desenvolvam a doença desde 12 de março, há motivos de preocupação. Onde estão essas pessoas? Estejam curados ou mortos”, questionou.

O médico declarou que “se se fizer um estudo, essas são as pessoas que deram positivo no mês de maio e que não ficaram isoladas. Porque, segundo as estatísticas, o tempo médio de permanência hospitalar em casos leves não excede 11 dias “.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo