África Subsaariana

Guiné-Conacri: Missão internacional de observação eleitoral valida a eleição dupla

Os membros da missão de especialistas eleitorais africanos anunciaram em conferência de imprensa que validaram, no seu relatório de observação, a eleição dupla de domingo, 22 de março.

No documento de 7 páginas, a organização valida o processo de votação e menciona algumas falhas.

No que diz respeito ao material eleitoral, “a missão observa com satisfação que, na maioria dos casos, o material eleitoral de boa qualidade entregue pelo CENI (Comissão Eleitoral Nacional Independente) esteve disponível e em quantidade suficiente nas assembleias de voto (BV)”.

A missão da CEEA observou nas assembleias de voto visitadas que o sigilo de voto foi respeitado“, afirmou Jean Marie Ngondjibangte, um dos especialistas.

Sobre a participação eleitoral, a missão afirmou no seu relatório que notou uma forte mobilização de eleitores.

Os eleitores guineenses saíram massivamente no início da manhã, alinhando-se em fila única nas assembleias de voto para cumprirem os seus deveres cívicos livremente, em ordem, disciplina e num clima de calma, exceto nos casos de violência orquestrada por ativistas que, infelizmente, resultou na perda de vidas humanas que todos deploramos“, refere o documento.

A missão observou que 98% das mesas de voto observadas encerraram na hora legal, ou seja, às 18h.

A contagem dos votos foi realizada na presença de membros do BV, delegados de partidos políticos, observadores nacionais e internacionais.

Não obstante as pequenas deficiências suscitadas, não sendo possível pôr em causa o bom andamento das eleições legislativas e o referendo constitucional de 22 de março de 2020 na República da Guiné, a Missão da CEEA concorda em afirmar que esta votação dupla cumpre as normas internacionais em matéria eleitoral”, continua o comunicado de imprensa.

Os especialistas também lamentaram a violência que pontuou essa eleição com casos de mortos e feridos.

O comunicado defende que os agentes dos serviços de segurança desempenharam o seu papel de garantir a segurança das mesas de voto e dos eleitores.

Em conclusão, a missão dos especialistas internacionais africanos anuncia que esta votação dupla cumpriu as condições para a organização de eleições, apesar de alguns “partidos da oposição que boicotaram as eleições e se recusaram a aceitar esta missão“.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo