África Subsaariana

Guiné-Conacri: Oposição reclama proibição de manifestações devido à pandemia de Covid-19

As autoridades da Guiné-Conacri renovaram novamente a proibição de grandes manifestações em todo o país devido à pandemia de Covid-19, mas a oposição denuncia uma estratégia para silenciá-la.

“O governo lembra aos partidos políticos e movimentos aliados do movimento presidencial, bem como a todas as entidades políticas e sociais, a suspensão por motivos sanitários das manifestações em todo o território nacional”, afirmou o porta-voz do governo Aboubacar Sylla, no domingo.

A oposição discorda da medida e planeia levar a cabo uma marcha na quarta-feira contra um “assalto” nas eleições e a prisão de vários dos seus líderes após a eleição.

Recorde-se que a decisão do presidente Alpha Condé de concorrer a um terceiro mandato mergulhou o país numa crise política e provocou manifestações duramente reprimidas e violência que deixaram dezenas de civis mortos desde outubro de 2019 e nos dias seguintes à eleição.

Condé, de 82 anos, foi declarado vencedor pelo Tribunal Constitucional. Cellou Dalein Diallo, líder da UFDG, autoproclamou-se vencedor das eleições e acusa o presidente reeleito de fraude.

A Human Rights Watch expressou anteriormente a suspeita de que “o governo está a usar a crise sanitária como justificação para suprimir a dissidência e desrespeitar os direitos humanos”.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo