Guiné-Conacri: Professores mantêm greve por salários mais altos

O Sindicato Livre de Professores e Educadores da Guiné (SLECG) anunciou que mantém a greve por um aumento de salários até à obtenção de um salário-base de pelo menos 8 milhões de francos guineenses ou cerca de 500 mil francos CFA.

De acordo com o secretário-geral do SLECG, esta reivindicação sustenta-se num acordo assinado com o governo em 13 de março.

Para punir os grevistas, o governo decidiu congelar os salários para outubro e novembro.

Recorde-se que o SLECG requer atualização do salário base para oito milhões de francos guineenses (800 euros) e afirma que o governo não cumpriu os seus compromissos feitos durante a assinatura do acordo em março, que terminou após o conflito anterior mais de um mês de greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Cabo Verde: TACV retoma voos a 27 de dezembro

Cabo Verde: TACV retoma voos a 27 de dezembro

A companhia aérea TACV – Cabo Verde Airlines vai retomar os seus voos nesta segunda–feira, 27 de dezembro. As primeiras…
Angola vai receber mais USD 748 milhões do FMI

Angola vai receber mais USD 748 milhões do FMI

O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu a sexta revisão ao programa de ajustamento financeiro de Angola, segundo…
Moçambique e FMI analisam programa de ajuda em janeiro

Moçambique e FMI analisam programa de ajuda em janeiro

O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Governo moçambicano vão começar as negociações sobre um Programa de Financiamento Ampliado no…
Timor-Leste recebe USD 4 milhões do Japão para eleições

Timor-Leste recebe USD 4 milhões do Japão para eleições

O Governo japonês disponibilizou quatro milhões de dólares americanos (3.545.244 euros) ao Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) para a…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin