África Subsaariana

Zimbábue começa a pagar indenização aos agricultores brancos a partir de abril

O Zimbábue vai começar a pagar, a partir de abril, indenização a milhares de agricultores brancos que perderam terras com a reforma do ex-presidente Robert Mugabe há quase duas décadas, anunciou o governo, ao tentar encerrar uma questão altamente controversa.

Duas décadas atrás, o governo de Mugabe realizou, por vezes, despejos violentos de 4.500 agricultores brancos e redistribuiu a terra para cerca de 300.000 famílias negras, argumentando que estava a corrigir os desequilíbrios da era colonial. No entanto, a reforma agrária ainda divide a opinião pública, pois os opositores consideram como um processo partidário que deixou o país com escassez de alimentos.

O governo do presidente Emmerson Mnangagwa vê o pagamento de indenização aos agricultores brancos como parte da solução para consertar os laços com o Ocidente, e reservou 17,5 milhões de dólares no orçamento deste ano para esse fim.

Os pagamentos iniciais terão como alvo os agricultores em dificuldades financeiras, enquanto a compensação total será paga posteriormente.

“O processo de registo e a lista de agricultores devem ser concluídos até ao final de abril de 2019, após o qual os adiantamentos intermediários serão pagos diretamente aos antigos proprietários das terras”, indicaram os ministérios da fazenda e da agricultura em comunicado conjunto divulgado na segunda-feira.

Segundo o comunicado, o processo para identificar e registar agricultores para compensação estava a ser realizado pela União dos Agricultores Comerciais (CFU) e um comité representando os lesados.

Um comité composto por funcionários do governo e ex-proprietários de terras está atualmente a calcular melhorias feitas nas propriedades. Esse processo deve terminar no próximo mês e vai determinar o valor total devido aos agricultores.

Os colonialistas apropriaram-se de algumas das melhores terras agrícolas e grande parte delas permaneceu nas mãos de agricultores brancos após a independência em 1980, enquanto muitos negros estavam privados de terras.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo