Mauritânia: Oito jihadistas extraditados para o Senegal

Estão em custódia na Divisão de Investigação Criminal (DIC), oito suspeitos jihadistas, extraditados para o Senegal, após a sua detenção em Nouakchott pela administração da segurança do Estado a pedido das autoridades senegalesas, e enviados para o estabelecimento prisional de Rebeuss. Depois serão apresentados ao juíz de instrução.

Os detidos são  Lamine Coulibaly, Boubacar B. Ndiaye, Omar Keïta, Mohamed Seck, Mamadou B. Mbaye, Alpha Diallo e Beyè. Entre os detidos está também Mohamed Ndiaye, conhecido por Abu Yusuf, um jihadista suspeito de ter participado em duas acções com o Boko Haram.

No momento da detenção alguns suspeitos estavam “na posse de grandes somas de dinheiro”, e confessaram aos serviços de inteligência mauritanos que tinham frequentado campos de treino da organização Estado Islâmico na África Ocidental (ex-Boko Haram) na Nigéria.

As autoridades senegalesas estão a lutar contra o terrorismo desde outubro de 2015.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Presidente de Portugal considera positiva visita a Angola

Presidente de Portugal considera positiva visita a Angola

O Presidente da República de Portugal fez neste domingo, 28 de novembro, um balanço positivo da visita de dois dias…
Afeganistão: Talibãs voltam a pedir ajuda à Europa

Afeganistão: Talibãs voltam a pedir ajuda à Europa

Os talibãs apelaram à Europa para que se mantivesse em operação os aeroportos do Afeganistão. O pedido foi feito em conversas com representantes da União…
Revista de Imprensa Lusófona de 29 de novembro de 2021

Revista de Imprensa Lusófona de 29 de novembro de 2021

No Brasil o “Estadão” destaca que a “Falta de verba trava perícias do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social] em ações judiciais”. A…
FMI considera insensato limitar projetos de gás em Moçambique

FMI considera insensato limitar projetos de gás em Moçambique

O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Moçambique, Alexis Meyer-Cirkel, afirmou que é pouco sensato pensar em limitar o desenvolvimento dos projetos de…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin