Os elefantes estão a morrer em massa no Botswana. Cientistas não sabem a razão.

Só nos primeiros três meses de 2021, 39 elefantes africanos sucumbiram no Botswana. As mortes misteriosas ocorreram na Reserva de Caça Moremi, no norte do país, a quase 100 quilómetros de uma região do Delta do Okavango, onde cerca de 350 elefantes africanos morreram durante maio e junho de 2020.

Os cientistas confusos têm pedido investigações completas já que o governo envia mensagens contraditórias sobre a causa da morte. Antraz e infecções bacterianas foram descartadas nas novas mortes e “mais análises laboratoriais estão em andamento”, informou o Departamento de Vida Selvagem e Parques Nacionais de Botswana num comunicado de imprensa.

No entanto, as 39 mortes recentes foram ligadas, com base em resultados preliminares, às mesmas toxinas de cianobactérias culpadas pela morte em massa do ano passado, disse Philda Kereng, Ministra do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo de Botswana, num discurso na televisão estatal de 30 de março .

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Cabo Verde: Governo quer garantir maior autonomia financeira dos municípios

Cabo Verde: Governo quer garantir maior autonomia financeira dos municípios

O Governo cabo-verdiano apresentou um pacote legislativo para assegurar maior autonomia financeira dos municípios. Neste sentido, defende uma efetiva descentralização,…
Guiné-Bissau: Liga dos Direitos Humanos alerta para a ameaça do extremismo violento

Guiné-Bissau: Liga dos Direitos Humanos alerta para a ameaça do extremismo violento

O Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH), Augusto Mário da Silva, alertou as autoridades guineenses sobre a ameaça…
Banco Mundial corta apoio a Moçambique por desvio de aplicação de fundos

Banco Mundial corta apoio a Moçambique por desvio de aplicação de fundos

O Banco Mundial decidiu suspender o seu apoio ao Fundo de Gestão de Calamidades (FGC), gerido pelo Instituto Nacional de…
Vivem no estrangeiro cerca de dois milhões de emigrantes portugueses, segundo a ONU

Vivem no estrangeiro cerca de dois milhões de emigrantes portugueses, segundo a ONU

De acordo com as últimas estimativas das Nações Unidas, em 2020, havia cerca de dois milhões de portugueses emigrados a…