África Subsaariana | Economia

Presidente sul-africano defende fim de sanções contra o Zimbábue

O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, declarou que o seu país apoiará o crescimento económico do Zimbabué e os esforços de reforma, defendendo que as sanções ilegais impostas ao país pelo Ocidente devem ser levantadas para permitir uma recuperação sem obstáculos.

Falando durante a abertura oficial da terceira sessão da Comissão Binacional do Zimbábue-África do Sul (BNC) em Harare, o presidente Ramaphosa disse que o seu governo exigiu mais do que apenas o levantamento pontual de sanções.

Segundo Ramaphosa, os esforços de reforma que estão a ser realizados pela administração do Presidente Mnangagwa são louváveis e merecem o apoio de todos.

A chegada de Ramaphosa ao Zimbábue ocorre logo após uma visita de alto nível do presidente do Botswana Keabetswe Masisi, que assinou vários memorandos de entendimento (MoUs) com Mnangagwa.

Masisi decepcionou o seu anfitrião recusando-se a conceder um empréstimo de 600 milhões de dólares ao Zimbábue, disponibilizando apenas 94 milhões para que empresas do Botswana invistam no país conturbado.

Em comunicado, Pretória disse que os dois chefes de Estado revisarão a cooperação bilateral entre os dois países, assim como analisarão o progresso feito com a implementação de acordos bilaterais.

“Até ao momento, os dois países assinaram 45 acordos, que abrangem uma ampla gama de campos, incluindo comércio e investimento, saúde, trabalho, migração, defesa, tributação, turismo, cooperação científica e tecnológica, água e meio ambiente”, refere a declaração.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo