RCA: Trinta e quatro pessoas assassinadas por grupo armado signatário dos acordos de paz

Pelo menos 34 pessoas foram mortas e 5 ficaram feridas, em ataques levados a cabo nas aldeias Koundjili, Ndjondjom e Bohong na República Centro-africana (RCA) pelo grupo armado “3R” de de Sidiki Abass. O grupo “3R” foi um dos 14 grupos armados signatários dos acordos de paz de 6 de Fevereiro.

O ataque terá sido desencadeado após disputas interétnicas entre criadores de gado e agricultores, em que os atacantes alegaram pretender vingar o assassinato de um elemento da mesma etnia, esfaqueado durante a contenda.

O porta-voz do governo centro-africano, Ange-Maxime Kazagui, exigiu que nas próximas 72 horas Sidiki Abass entregue às autoridades os autores dos massacres, sob pena de o líder do “3R” ser considerado pessoalmente responsável dos assassinatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Guiné-Bissau assume a presidência rotativa da Assembleia Parlamentar da CPLP

Guiné-Bissau assume a presidência rotativa da Assembleia Parlamentar da CPLP

A capital guineense acolheu de 7 a 8 de Julho a 10ª Assembleia Parlamentar dos Países da Língua Oficial Portuguesa…
Moçambique: Frelimo preocupada com acidentes de viação

Moçambique: Frelimo preocupada com acidentes de viação

O secretário-geral da Frelimo, Roque Silva, declarou que a prevenção dos acidentes de viação e o combate à Covid-19 devem ser reforçados. Isto porque, segundo o…
Portugal regista mais 3.194 infetados por covid-19 e ultrapassa os 900 mil casos desde o início da pandemia

Portugal regista mais 3.194 infetados por covid-19 e ultrapassa os 900 mil casos desde o início da pandemia

O boletim epidemiológico, divulgado pela Direção Geral da Saúde esta sexta feira, refere que o número de casos confirmados de…
Presidente da Guiné-Bissau pede melhor tratamento para guineenses em Cabo Verde

Presidente da Guiné-Bissau pede melhor tratamento para guineenses em Cabo Verde

O chefe de Estado da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, considerou “inaceitável” que houvesse rumores de guineenses barrados à entrada dos aeroportos em Cabo Verde, país onde se…
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin