RDCongo: Assinalada presença de tropas angolanas no Kongo Central

Cerca de 600 militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) estão em movimentação no Kongo Central, província da República Democrática do Congo (RDC), confirmaram fontes locais.

Segundo as informações locais os militares das FAA concentraram-se nas imediações de Mbata Mbengi, na colectividade de Tsundi Sud território de Lukula, a cerca de 20 km do centro de refugiados cabindas Nlundu Matende e à mesma distância de Cabinda. Referido também que a unidade angolana está em deslocação para Kai Vemba, sector de Kakongo.

A difusão local da informação levou o administrador do território de Lukula, um comandante militar, bem como o chefe da polícia, um responsável da Agência Nacional de Informações (ANR) e outros responsáveis administrativos a reunirem esta terça-feira 08 de Fevereiro na sede da colectividade de Tsundi Sud em de Mbata Mbengi a fim de obterem mais pormenores sobre a presença dos militares angolanos e as medidas a tomar.

Simultaneamente a República do Congo (Brazzaville) está a acolher na província de Kouilou “uma formação” que conta com a participação de militares angolanos e congoleses e que perspectiva a organização de unidades mistas para operarem ao longo da fronteira com Cabinda. Uma “formação” que está no quadro das decisões tomadas na reunião bilateral entre chefias militares que decorreu em Massabi a 18 de Janeiro, logo após os confrontos entre as FAA e comandos da FLEC em Cabinda.

2 Comments

  1. Maria Deca

    É incompreensível a complicidade dos dois Congos em missão contra os Cabindas.
    Mas Deus proverá por nós os Cabindas. Fora das estratégias humanas, existe um alcance infalível; a mão de Deus todo poderoso. Ele vai responder. Tudo isso também faz parte do pacote do preço a pagar por independência. Os dois Congo e Angola serão testemunhas da nossa proclamação.

  2. unica

    Amém! Maria Deca.

    Eu CREIO. Sim! Acontecerá a Independência de Cabinda, não muito desses dias. Podem multiplicar estratégias das mais sofisticadas que sejam, mas a verdade é que a Nação de Cabinda nunca será abandonado por Deus.

    Já passaram dois mil anos (2000) e nos foi adicionado mais vinte e cinco anos (25). Aleluia! Então vereis o nascer de uma nova Nação. Cabinda, a conhecida nova Nação do mundo.

    Cabinda, Cabinda, Cabinda, não chore mais, pois o teu Criador, o Deus dos espíritos de toda carne, o Deus todo poderoso, te tem visitado! Pelo tempo da sua visitação te falta só mais um tempo, mais dois tempos contados, e e no terceiro tempo, será sim! publicado a INDEPENDÊNCIA DE CABINDA.

    A todos que se levantam contra os Cabindas, os inimigos do povo Cabinda; vos aconselho a se arrependerem enquanto podem o fazer. Dias virão em que a Nação de Cabinda se fortalecerá e subjugará aos que antes os subjugaram. A vossa vergonha será bastante e nunca teres lugar de honra entre os Cabindas.

    Escrito em Cabinda, 15 de Fevereiro de 2022.

    Atenciosamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Moçambique: Paralisação de fábricas de processamento de castanha de cajú empurra mais de 17 mil pessoas para o desemprego em Nampula

Na província moçambicana de Nampula, 17.182 trabalhadores foram empurrados para o desemprego nos dois últimos anos na sequência da paralisação…
Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

Presidente da Rússia pede a Exército ucraniano para tomar o poder

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou ao Exército ucraniano para que retirasse o apoio ao Governo ucraniano, o que significa…
Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

Ucrânia confirma ataques da Rússia a creches e orfanatos

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, confirmou os relatos de ataques e bombardeamentos a creches e orfanatos…
Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

Rússia prende mais de 1.800 manifestantes que são contra a guerra

As autoridades russas detiveram mais de 1.800 manifestantes que se opuseram à invasão à Ucrânia.  “Nós estamos preocupados com as…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin