África Subsaariana

Senegal: Doença de pele que afeta os pescadores ainda permanece um mistério

As autoridades do Senegal ainda desconhecem a origem da doença de pele que afetou mais de mil pescadores há cerca de uma semana, na região de Dakar, anunciou o Ministro da Saúde senegalês.

O risco viral e contagioso está descartado e todos os casos notificados evoluíram favoravelmente sem complicações. Apenas um caso num total de 1.004 pessoas se encontra hospitalizado.

Entretanto, o ministro do Meio Ambiente, Abdou Karim Sall, levantou a possibilidade do envolvimento de uma alga. “Não há casos secundários. Ou seja, não há contaminação, não é uma doença contagiosa (e) não há risco em relação ao consumo de peixe”, disse o Ministro da Saúde.

As amostras analisadas por um laboratório não revelaram quaisquer infeções químicas ou tóxicas na água ou nos peixes, disse o ministro do Meio Ambiente.

Falta analisar as amostras das algas, tendo o aparecimento da doença coincidido segundo os pescadores com uma proliferação de algas. As análises do centro de controlo de venenos da Universidade Cheikh Anta Diop em Dakar estão agendadas para esta semana. O ministro também estuda análises sobre os combustíveis e redes.

Muitos pescadores reclamaram das vendas fracas dos seus produtos depois de publicações nas redes sociais aconselhando não comer peixe por um tempo.

A pesca gera mais de 53.000 empregos diretos e 540.000 indiretos no Senegal, de acordo com a ONU.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo