África Subsaariana

Senegal: Manifestação da oposição violentamente reprimida, vários líderes maltratados e presos

Vários líderes da oposição senegalesa foram maltratados e outros detidos numa manifestação contra o presidente Macky Sall, que foi violentamente reprimida pelas forças de segurança.

Os confrontos começaram quando alguns líderes, nomeadamente Omar Sarr, Mamadou Diop Decroix, Thierno Alassane Sall, Thierno Bocoum e Déthié Fall  quiseram forçar a barreira de segurança para chegarem ao Ministério do Interior. As forças da ordem opuseram-se categoricamente e todos os líderes foram detidos e transportados em veículos da polícia.

Os jovens que vieram assistir à marcha foram dispersos com a utilização, por parte das forças de segurança, de granadas de gás lacrimogéneo. Os manifestantes tentaram reagir atirando pedras, mas desistiram perante os efeitos do gás.

As autoridades proibiram qualquer ajuntamento no centro da cidade, assim como entrevistas. Os jornalistas que se aproximaram da manifestação também foram alvo das granadas de gás lacrimogénio e foram dispersados com um projétil atirado pela polícia.

Mesmo assim, a Frente Nacional de Resistência, através de uma conferência de imprensa realizada ontem à noite, denunciou “o regime brutal de Macky Sall” pedindo a libertação dos presos e reiterando o seu pedido de eleições transparentes em 2019.

“Macky Sall baniu arbitrariamente este evento. Ele utilizou a polícia para impedir o acesso ao centro da cidade por parte dos manifestantes, desencadeou uma repressão cega dirigida, tanto contra os manifestantes, como contra os cidadãos”, acusaram os opositores indicando que muitos líderes e funcionários da Frente Nacional de Resistência foram presos.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo