África Subsaariana | Economia

Senegal: Woodside exerce seu direito de preferência na transação FAR – ONGC Videsh

Depois de bloquear a entrada da Lukoil no petróleo de Sangomar, Woodside está novamente a contar com a sua opção de compra no projeto para impedir a entrada da ONGC Videsh no Senegal. Se ambas as transações forem aprovadas, a Woodside controlará 90% do petróleo da Sangomar.

No Senegal, a petrolífera Woodside Petroleum acaba de anunciar que vai exercer o seu direito de preferência para bloquear a oferta da ONGC Videsh de recompra da participação de 15% da FAR Ltd no projecto petrolífero Sangomar.

A Woodside pagará à FAR os 45 milhões de dólares equivalentes aos 15% de participação e custos relacionados, o que deve permitir dispor de 130 milhões de dólares, após a conclusão do negócio.

Lembre-se que a Woodside já tinha exercido a sua opção de compra em agosto de 2020, quando a russa Lukoil fez uma oferta para adquirir a participação de 40% na Cairn Energy no local. Assim que as operações de aquisição das ações da Cairn e da FAR forem concluídas, a Woodside controlará 90% da área de avaliação da Sangomar e permanecerá como operadora. A companhia petrolífera pública senegalesa (Petrosen) controla o resto dos interesses.

“Esta aquisição cria valor para os acionistas da Woodside e resultará numa joint venture simplificada”, disse Peter Coleman, diretor administrativo da Woodside, em comunicado.

A oferta está sujeita à aprovação do governo senegalês e dos acionistas do FAR. O primeiro barril da Sangomar será extraído em 2023.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo