África Subsaariana | Ásia | Economia

Transações comerciais entre a Rússia e o Gabão atingiram 95,6 milhões de dólares em 2018

O embaixador da Rússia no Gabão, Dmitry Kurakov, anunciou na quarta-feira, em conferência de imprensa em Libreville, que as transações comerciais entre a Rússia e Gabão atingiram 95,6 milhões de dólares em 2018. Os dados divulgados pelo diplomata russo vêm dos serviços oficiais russos.

O balanço comercial é fortemente a favor do Gabão que exportou para a Rússia um total de 89 milhões de dólares entre janeiro e novembro de 2018. As exportações do Gabão incidiram especialmente em manganês e seus concentrados para um volume de 266.000 toneladas. Kurakov reconheceu que a madeira gabonesa também é vendida na Rússia, mas através de intermediários chineses.

“Queremos ter nossas próprias empresas que comprem no mercado gabonês para exportar diretamente para a Rússia”, disse o diplomata russo.

Por seu lado, o Gabão importou da Rússia um valor total de 6,6 milhões dólares entre janeiro e novembro de 2018. Os produtos russos que entraram no Gabão são derivados de petróleo, alimentos de origem vegetal e animal, carnes e miudezas. “Há frango russo vendido no mercado gabonês através de intermediários franceses”, relatou o embaixador russo.

O diplomata observou com satisfação “a dinâmica positiva no comércio entre a Rússia e o Gabão, mesmo que o seu montante ainda seja modesto demais”.

A última reunião em julho 2018 entre os presidentes Ali Bongo Ondimba (Gabão) e da Rússia, Vladimir Putin, à margem da Taça do Mundo acelerou o intercâmbio entre os dois lados, referiu Kourakov.

A Rússia está a regressar a África após o colapso da antiga URSS no início dos anos 90. “Entendemos que teríamos que voltar a África em breve e fazer a nossa parte. Esperar 20 anos seria tarde demais “, disse Kurakov, que admitiu que a Rússia perdeu os seus melhores especialistas na África após a retirada do continente negro. “Estamos de volta”, acrescentou, apontando a presença do seu país na Guiné Conacri na mineração de bauxita e em Angola na mineração de diamantes.

No Gabão, “o campo de petróleo é de particular interesse”, segundo o diplomata, que citou o exemplo da empresa Zarubezheft atualmente em negociações com o Gabão.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo