África Subsaariana | Crise | Segurança

Vítimas do Boko Haram incluem mais de meio milhão de crianças desnutridas

Mais de meio milhão de crianças na região da África Ocidental, vítimas do grupo extremista Boko Haram, estão tão desnutridas que as suas vidas correm perigo se não receberem ajuda humanitária, revelou um relatório das Nações Unidas divulgado ontem, segunda-feira.

Campanhas militares nigerianas conseguiram expulsaram o Boko Haram de grande parte do território ocupado durante uma revolta de sete anos que matou mais de 20.000 pessoas, deslocou mais de 2 milhões e chocou o mundo com o rapto de cerca de 300 jovens estudantes.

Assim que as organizações humanitárias entraram nas áreas que os rebeldes islamistas tinham controlado, tornou-se claro o sofrimento que o grupo infligiu  nos últimos seis meses, disse Toby Lanzer, coordenador humanitário da ONU para a região.

“O que vimos é extraordinário”, contou Lanzer durante uma conferência de imprensa na sede da ONU. “Vimos adultos completamente esgotados, quase incapazes de andar. Vimos aldeias e vilas desprovidas de crianças de 2 e 3 e 4 anos, porque morreram”, disse, referindo que algumas aldeias, totalmente destruídas, tinham sido isoladas do mundo exterior há mais de três anos.

O presidente nigeriano Muhammadu Buhari declarou em dezembro de 2015 que o Boko Haram foi “tecnicamente derrotado”, mas os ataques prosseguiram em algumas regiões. Em dezembro duas mulheres suicidas mataram 57 pessoas e feriram 177 , num mercado nigeriano do nordeste, um ataque reivindicado pelo Boko Haram.

As Nações Unidas apelaram à Comunidade Internacional para que ajude a  Nigéria e a região do Lago do Chade, que estão a passar pela pior crise humanitária em África, lançando um pedido de mais de mil milhões de dólares, esperando que uma reunião no próximo mês em Oslo, na Noruega estimule as doações, disse Lanzer.

Cerca de 11 milhões de pessoas estão “com necessidade desesperada” de ajuda, cerca de 7,1 milhões delas sofrem de graves carências alimentares – maioritariamente, recebem apenas uma refeição por dia, quando é possível – e cerca de 515.000 crianças estão ou ficarão em breve gravemente desnutridas, disse Lanzer. “Se não recebem a tempo a ajuda que precisam, morrem”, reforçou o representante.

Entretanto Buhari, acusou a ONU e as agências humanitárias de exagerar a crise para conseguirem doações.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo