Zimbábue: Chamisa consolida liderança no Congresso da Aliança MDC

O líder da Aliança MDC, Nelson Chamisa, está a trabalhar para consolidar o controlo sobre o partido da oposição antes do congresso eletivo no início do ano que vem, o que deve desenvolver, ou quebrar, o seu futuro político.

Fontes do partido adiantaram ao NewsDay que o plano de Chamisa era criar uma onda de apoio público à sua volta, de modo a que seja difícil para qualquer potencial concorrente competir com ele.

“Chamisa está a aumentar o apoio e a sua popularidade dentro e fora das estruturas do partido, principalmente para criar uma cerca intimidatória para impedir outros membros do partido de desafiá-lo no congresso”, disse um alto funcionário do partido da oposição.

“Ele sabe que não pode evitar as eleições no congresso, então quer fazer parecer que não pode ser desafiado.”, explicou a mesma fonte.

Chamisa fará uma rápida viagem na próxima semana para galvanizar as estruturas partidárias em todo o país antes dos planeados protestos de rua que irão tentar derrubar o presidente Emmerson Mnangagwa.

“Vamos nos organizar internamente, depois cumpriremos os programas que planeamos fazer em todo o país a partir da próxima semana”, disse Chamisa nas comemorações do 19º aniversário do MDC, realizadas na capital no final de semana.

O secretário-geral da Assembleia da Juventude, Lovemore Chinoputsa, declarou, nas comemorações do 19º aniversário do partido no Estádio Gwanzura, que o executivo nacional do partido estava certo de que Chamisa continuaria líder da Aliança MDC.

Chinoputsa disse que não há necessidade de mudar uma equipa vencedora, dizendo que é hora da família MDC endossar a liderança de Chamisa, alegando que ele recolheu 2,6 milhões de votos na eleição presidencial de 30 de julho, em vez dos 2,1 milhões anunciados por Comissão Eleitoral do Zimbabué.

“A posição geral da MDC é que nosso presidente Chamisa venceu a eleição, que foi roubada pelo governo da junta. Ele conseguiu 2,6 milhões de votos. Por que queremos mudar uma equipa vencedora? Temos que nos juntar a ele e melhorar nossa imagem”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Angola: Moco diz que MPLA receia enfrentar Costa Júnior

Angola: Moco diz que MPLA receia enfrentar Costa Júnior

O ex-primeiro-ministro angolano e militante do MPLA, Marcolino Moco, afirmou que o partido no poder, tal como o líder João…
Moçambique quer fortalecer cooperação com STP na Educação

Moçambique quer fortalecer cooperação com STP na Educação

A Embaixadora de Moçambique em São Tomé e Príncipe, Osvalda Joana, partilhou a vontade do país que representa em reforçar…
Cabo Verde: PAICV quer vencer as seis câmaras municipais de Santiago Norte em 2024

Cabo Verde: PAICV quer vencer as seis câmaras municipais de Santiago Norte em 2024

A presidente da Comissão Política Regional do PAICV em Santiago Norte, Carla Carvalho, afirmou que o “grande desafio” do mandato…
Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

Portugal pondera aumentar número de turmas para crianças ucranianas

O ministro da Educação em Portugal, Tiago Brandão Rodrigues, reafirmou nesta sexta-feira, 11 de março, que as escolas portuguesas estão preparadas…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin