África Subsaariana

Zimbábue: Emmerson Mnangagwa acredita que fação política tentou matá-lo

O presidente interino do Zimbábue, Emmerson Mnangagwa, declarou na terça-feira que suspeita que um grupo ligado à ex-primeira-dama, Grace Mugabe, esteja por trás de um atentado contra sua vida.

Duas pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas numa explosão que ocorreu perto de Mnangagwa num comício em Bulawayo, no sábado passado.

Em declarações a Fergal Kane, da BBC, Mnangagwa disse que suspeita que o grupo G40, que apoiava Grace Mugabe para a presidência, seja responsável pelo ataque.

Recorde-se que Robert Mugabe, foi retirado do poder no ano passado. A suspeita generalizada de que Grace Mugabe pretendia suceder ao seu marido como líder do país foi um fator que contribuiu para a transição política e para o envolvimento do exército no afastamento de então presidente zimbabweano.

“Eu não sei se foi um indivíduo – eu acho que é mais amplo do que uma pessoa. Eu acho que isso é uma ação política de algumas pessoas ofendidas”, disse Mnangagwa.

Mnangagwa, então vice-presidente, e Grace Mugabe foram os dois principais candidatos a suceder a Robert Mugabe no cargo. A fação que apoiava a ex-primeira dama era conhecida como geração 40 ou G40.

Apesar do aparente atentado contra sua vida, Mnangagwa garante que o Zimbábue está estável, que os investidores estrangeiros não se devem preocupar e que as eleições marcadas para o próximo mês serão realizadas de maneira livre e justa.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo