África Subsaariana

Zimbabwe bloqueia todos os pagamentos em dinheiro móvel

O governo do Zimbabwe suspendeu todos os pagamentos em dinheiro móvel, incluindo as operações da Ecocash na sexta-feira. A Bolsa de Valores também foi obrigada a interromper as negociações, numa escalada dramática da crise cambial do país.

O governo alega que a medida pretende evitar uma conspiração para sabotar o dólar do Zimbabwe em colapso. No entanto, milhões de zimbabweanos dependem de operadoras de pagamento digital porque obter dinheiro físico é muito difícil no país. A Ecocash também é habitualmente usada para comprar Bitcoin.

Em resposta, a Ecocash prometeu desafiar a proibição alegando que apenas o Banco Central do Zimbabwe pode ordenar que pare de negociar.

Enquanto isso, o canal de notícias de criptografia africano Bitcoinke revelou que “a procura por Bitcoin disparou” após a suspensão. As fontes do canal afirmam que a criptomoeda está a vender 18% acima da taxa de mercado.

Uma moeda nacional, o dólar do Zimbabwe ou Zimdollar, foi reintroduzida em 2019, substituindo uma série de moedas nacionais, incluindo o iene japonês, o dólar americano e a libra esterlina. Para forçar os cidadãos a deixar o sistema anterior, o governo proibiu o uso doméstico de moedas estrangeiras, embora rapidamente tenha perdido terreno para o dólar americano. Esta é a quinta vez na história do Zimbabwe que sua moeda nacional entra em colapso.

Muitos zimbabweanos recorreram a pagamentos digitais e, em 2019, as carteiras móveis representaram quase 85% de todos os volumes de transações e 22,6% do valor, segundo o banco central do país.

O governo alega que os operadores de pagamento móvel e a bolsa de valores estão deliberada ou inadvertidamente atuando para sabotar a economia e são a causa da volátil taxa de câmbio do mercado negro de Zimdollar. A Ecocash nega qualquer irregularidade.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo