África Subsaariana

Zimbabwe: Governo convida oposição para evento anti-sanções

O Governo do Zimbabwe convidou a Aliança MDC e o MDC-T para participar dos eventos SADC Anti-Sanções marcadas para 25 de outubro. Devido à pandemia de Covid-19, ainda não está claro onde as comemorações serão realizadas, mas o Zanu PF realizará uma e-gala em Bulawayo.

Num tweet, o Secretário de Informação, Nick Mangwana, disse: “Nós juntamo-nos a outras partes interessadas progressistas, como empresas, partidos políticos e sociedade civil, para realizar a Gala Anti-Sanções deste ano. Estendemos um convite ao MDC-T, MDC-A e outros para virem gritar contra as sanções.”

MDC-A não participará

O Movimento para a Mudança Democrática liderado por Nelson Chamisa disse que não participará da e-gala no domingo. Respondendo ao convite, o porta-voz do movimento, Fadzayi Mahere, disse: “Estão a convidar-nos a todos para um hotel em Bulawayo? Empresas, sociedade civil e todos os partidos políticos? Se uma reunião como esta pode ocorrer, não deve haver obstáculo à realização de eleições parciais. O Covid-19 é apenas uma ameaça quando se trata do exercício dos direitos constitucionais?”, questionou.

Enquanto isso, na Câmara da Assembleia na terça-feira, Tapiwa Mashakada, secretária do MDC-T para finanças e assuntos económicos, que também é a MP de Hatfield, disse que a oposição se opõe a sanções económicas contra o Zimbabwe.

MDC-T apoia iniciativa

“Nós, da oposição, não apoiamos sanções. Queremos que as sanções sejam removidas. Portanto, queremos ajudá-lo a remover essas sanções.”, disse ele. Mashakada disse que Khupe, como presidente do comité de compromisso internacional do Diálogo de Atores Políticos (POLAD), se reunia com o Ocidente para garantir que as medidas punitivas fossem removidas.

“A Dra. Khupe tem feito muito trabalho para tentar ajudar e deve ser apoiada nesse sentido. No entanto, essas questões também devem ser abordadas como eu destaquei, para que não tenhamos desculpa para qualquer outro país continuar a manter sanções ao Zimbabwe”, defendeu.

Os Estados Unidos da América e seus aliados impuseram sanções direcionadas a alguns funcionários e empresas da Zanu PF, considerados envolvidos em violações dos direitos humanos.

Segundo o Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mangwana, a taxa de desemprego recorde do país é provocada pelas sanções.  “Sim, existe uma relação direta entre o desemprego e as sanções. A empresa que deveria contratá-lo teve seu capital internacional negado porque a praga das sanções aumentou o perfil de risco. Se se defende as sanções, apela-se pelas suas próprias dificuldades”.

 

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo