África Subsaariana | Especial COVID-19

Zimbabwe: Governo lança estudo de testes Covid-19 baseado nas comunidades

Teste de Covid-19

O governo do Zimbabwe decidiu no domingo a implementação de um estudo de teste Covid-19 baseado na comunidade, que identificará e informará a implantação de respostas personalizadas para comunidades específicas.

A medida faz parte de um projeto para responder a uma possível segunda onda da pandemia, já que o país tem registado um aumento no número de novas infeções ultimamente.

Indivíduos em mais de 7.000 domicílios serão testados para o vírus em todos os 54 distritos, de acordo com a Pesquisa Nacional de Sero-Prevalência para Covid-19, que será realizada até 30 de dezembro.

O Instituto Nacional de Investigação de Saúde (NIHR) testará quase 4.600 indivíduos em residências rurais. O diretor do NIHR, Nicholas Midzi, informou que será testada apenas uma pessoa por família.

Segundo o responsável, o estudo ajudará as autoridades a elaborar intervenções especializadas visando comunidades específicas para conter a propagação do contágio a nível local.

“Os testes vão informar as autoridades da extensão da propagação do Covid-19, incluindo as áreas de alta e baixa transmissão, bem como chegar às intervenções necessárias para cada área”, especificou, adiantando que os testes iniciarão no início da semana.

“Vamos determinar a presença de COVID-19 por meio de testes de anticorpos, que vão mostrar se um indivíduo foi infetado. Serão feitos mais testes para confirmar o teste inicial”, completou.

Comunidades deixaram de aderir às diretrizes preventivas

A Coordenadora-Chefe para a Resposta Nacional à Pandemia Covid-19, Agnes Mahomva, disse que uma pesquisa recente do governo mostrou que a maioria das comunidades tinha deixado de aderir às diretrizes preventivas padrão.

“Percebemos que as pessoas não estão mais a aderir às diretrizes, que incluem o uso de máscaras, lavar as mãos com frequência e o distanciamento social”, referiu.

“Uma pesquisa recente mostrou que a maioria das pessoas conhece o Covid-19. No entanto, percebemos que a maioria das pessoas acredita que tem apenas 24 por cento de hipótese de contrair a doença e isso é muito preocupante”, acrescentou.

“Portanto, o próximo estudo mostrar as áreas para as quais precisamos olhar e as áreas de resposta que precisam ser fortalecidas”, referiu.

Recorde-se que na semana passada mais de 100 alunos e professores da John Tallach High School na província de Matabeleland do Norte testaram positivo para Covid-19, levando as autoridades a enviar especialistas para investigar o surto.

Outros 10 casos positivos foram registados em duas faculdades politécnicas.

Mahomva informou que o governo considera endurecer as diretrizes operacionais nas instituições de ensino, a fim de evitar surtos semelhantes em outros lugares.

“Enviamos uma equipa para investigar como os alunos da John Tallach foram infetados”, indicou. “Isso nos ajudará a ajustar as Diretrizes Operacionais Padrão nas escolas”, acrescentou.

Ela acrescentou, no entanto, que as diretrizes existentes eram suficientes para proteger alunos e professores da pandemia, se implementadas de maneira adequada e constante.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo