África Subsaariana

Zimbabwe: Médicos processam o governo por falta de equipamento de proteção Covid-19

O governo do Zimbabwe foi levado a tribunal por não fornecer máscaras aos médicos que trabalham na linha de frente da pandemia de Covid-19.

A Associação de Médicos para os Direitos Humanos do Zimbabwe (ZADHR) está a tentar obrigar as autoridades a fornecer urgentemente equipamentos de proteção individual (EPI) para médicos, alertando que os profissionais de saúde do país morrerão.

Simplesmente não existem EPIs adequados para o pessoal de saúde que trabalha em unidades de saúde públicas e privadas no país. Denunciamos a falta porque trabalhamos lá ”, dizia o pedido do tribunal, citado pelo The Guardian.

Se nenhuma medida urgente for tomada para solucionar as deficiências, o país será apanhado despreparado para lidar com uma possível escalada da pandemia de Covid-19 e muitas vidas serão perdidas, incluindo, infelizmente, a vida das pessoas na linha de frente“.

O ZADHR relatou que 1.500 funcionários que trabalham em hospitais públicos exigem pelo menos três máscaras por dia, um “luxo” que o governo não fornece. “No entanto, é necessário evitar o desastre italiano, onde um grande número de profissionais de saúde foi infectado pela prestação de serviços de saúde aos pacientes“, refere o comunicado.

Desde que o Zimbabwe registou o seu primeiro caso positivo no mês passado, os testes ficaram para trás. Na última quinta-feira, apenas 316 casos suspeitos tinham sido testados para o Covid-19.

Segundo o ministério da saúde, o Zimbabwe confirmou 10 casos positivos, incluindo uma morte – a de Zororo Makamba, um importante jornalista de televisão.

Com os kits indisponíveis, nem os médicos nem os pacientes suspeitos estão a ser testados. Muitos casos estão a ser afastados do hospital Wilkins, a principal instalação de isolamento de Harare.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo