Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa

Zimbabwe: Mnangagwa agradece a Ramaphosa pelo apelo à remoção das sanções

O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, agradeceu ao seu homólogo sul-africano Cyril Ramaphosa por apelar ao levantamento das sanções ocidentais ao Zimbabwe.

Ramaphosa fez o apelo no início da 75ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) na qualidade de Presidente da União Africana.

“Agradeço a @CyrilRamaphosa por mais uma vez pedir o fim das sanções debilitantes que prejudicam o povo do Zimbabwe há quase duas décadas”, disse Mnangagwa num tweet na quarta-feira.

No seu discurso, Ramaphosa declarou que as sanções ao Zimbabwe e ao Sudão deveriam ser removidas para permitir que os dois países respondam adequadamente à pandemia Covid-19.

“Para garantir que nenhum país seja deixado para trás, reiteramos a nossa posição como União Africana de que as sanções económicas contra o Zimbabwe e o Sudão devem ser suspensas para permitir que os seus governos respondam adequadamente à pandemia”, disse Ramaphosa.

Deixe uma resposta




Artigos relacionados

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

Moçambique: FMI prevê elevado crescimento do crédito à economia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) estima um crescimento considerável do crédito à economia em 2023 para Moçambique.  Se isso se…
Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

Angola: Governo entrega proposta do OGE 2023 até 15 de dezembro

O Governo angolano assegurou nesta quinta-feira, 24 de novembro, que vai entregar a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE)…
Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Cabo Verde regista três casos da sub-linhagem da variante Ómicron “BQ.1.1”

Segundo a Ministra da Saúde de Cabo Verde, Filomena Gonçalves, desde o início de novembro houve um pequeno aumento dos…
Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

Portugal reconhece qualificações académicas de 100 refugiados ucranianos

A Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) de Portugal já reconheceu as qualificações académicas de cerca de 100 cidadãos ucranianos desde…