África Subsaariana

Zimbabwe: Professores detidos por se manifestarem em frente a um ministério

Cerca de 12 professores presos na sexta-feira foram indiciados no sábado, 24 de agosto, por tentarem se manifestar em frente ao Ministério das Finanças. Os professores protestavam contra os salários que consideram muito baixos.

As prisões surgem na sequência de várias manifestações proibidas pelo governo nas últimas semanas.

Segundo Doug Coultard, advogado dos professores detidos, essas prisões mostram que a situação dos direitos humanos não melhorou no país, apesar da mudança de regime há um ano.

“Fomos formalmente acusados de” incómodo criminal “. E nossa defesa pediu libertação sob fiança indicando que esse fundamento de acusação não tem sentido. Nós – os professores e eu – fomos acusados de ter um caixão e cantamos em um protesto. Isto é o que constitui um crime, de acordo com o promotor.”

O advogado sublinhou que esta situação ilustra o endurecimento das autoridades perante as vozes discordantes ultimamente. “Isso é típico do renovado assédio e abuso de ativistas de direitos humanos, sindicalistas e professores nos últimos meses. Mas essas acusações não têm fundamento. Os professores só queriam apresentar as suas queixas ao Ministro das Finanças. Quanto a mim, fui preso porque estava presente com os meus clientes. O que é preocupante, quando um advogado e um jornalista – que cobriu o evento – são presos apenas por fazerem o seu trabalho.”

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo