Ativista do movimento Black Lives Matter faz história e é eleita para o Congresso dos EUA

Cori Bush é enfermeira, ex-sem-abrigo, ativista do movimento Black Lives Matter e agora congressista. Cori fez história esta terça-feira ao tornar-se a primeira mulher negra eleita para o Congresso pelo Estado do Missouri.

A congressista pelo partido democrata era considerada uma “outsider” pela falta de experiência política e durante a campanha foi alvo de duras críticas. Cori Bush, de 44 anos, foi uma das ativistas que se destacou no movimento Black Lives Matter, na sequência da morte de Michael Brown, um jovem negro abatido pela polícia em Ferguson, em 2014.

Tem sido uma das vozes mais proeminentes do movimento pela justiça racial nos Estados Unidos e na reação à sua eleição para o Congresso,afirmou, no Twitter, que vai levar a luta pela justiça racial “das ruas de Ferguson para o Congresso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.




Artigos relacionados

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

Ucrânia e Rússia adiam negociações para esta quinta-feira

As negociações entre a Ucrânia e a Rússia foram adiadas para esta quinta-feira, 03 de março.  A delegação ucraniana está…
Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

Portugal agradece à Roménia apoio no repatriamento de portugueses e ucranianos

O primeiro-ministro português, António Costa, manifestou publicamente ao Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, a sua gratidão pelo apoio prestado na…
Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

Guiné-Bissau: PGR quer vigilância acrescida a pessoas com enriquecimento anormal

O Procurador-geral da República (PGR) pediu aos magistrados para estarem atentos às pessoas que procuram vias fáceis para enriquecer, às…
Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

Moçambique: Oposição critica "silêncio" do Governo sobre invasão à Ucrânia

A Renamo e o MDM, partidos moçambicanos da oposição, condenam a invasão da Rússia à Ucrânia. Ambos criticam o “silêncio”…
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin