América do Norte | Segurança

Estados Unidos consultam as redes sociais antes de concederem vistos

O Congresso norte-americano vai limitar a política de isenção de vistos que beneficia os nacionais de 38 países, dos quais 30 europeus, a fim impor aos viajantes com supostas ligações à Síria ou outros países terem de solicitar um visto antes de viajarem para os EUA.

Esta medida é uma das consequências dos atentados de Novembro em Paris. Washington considerou que a probabilidade dos autores dos atentados em Paris viajarem para os EUA sem serem detectados era muito elevada porque, maioritariamente, os terroristas estariam isentos de visto por possuírem a nacionalidade francesa e belga.

Por outro lado, também no quadro do reforço dos procedimentos de segurança na atribuição de vistos, desde o início do ano, os serviços de imigração norte-americanos passaram a consultar as contas nas redes sociais de alguns viajantes antes de lhes concederem um visto, confirmou a Administração americana.

Esta medida foi adoptada após os atentados em San Bernardino nos EUA perpetrados pelo casal Tashfeen Malik e Syed Farook que através das redes sociais estavam supostamente em contacto com círculos radicais islamistas e pouco antes do atentado, Tashfeen Malik publicara na sua página do Facebook que prestara fidelidade ao Estado Islâmico.

Segundo a nova política será exigido um visto a todos os nacionais dos 38 países que beneficiam da isenção de vistos para os EUA sempre que o viajante possua dupla nacionalidade com Iraque, Síria, Irão, Sudão ou de outros países considerados de “risco” pela Administração norte-americana, mas também a qualquer indivíduo que tenha viajado desde Março de 2011 para um dos quatro países citados, este critério não abrange diplomatas e militares. Por fim, os hábitos do viajante nas redes sociais vão continuar a ser analisados.

O embaixador europeu em Washington, David O’Sullivan, já protestou contra estas medidas de segurança que qualificou de “discriminatórias” e ameaçou os EUA de represálias baseadas no princípio da reciprocidade.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo