América do Norte | América Latina

EUA conversam secretamente com o chefe socialista da Venezuela, Diosdado Cabello

Diosdado Cabello, que é considerado o homem mais poderoso da Venezuela depois de Maduro, reuniu-se secretamente, no mês passado em Caracas, com alguém que está em contato próximo com a administração Trump, disse fonte próxima do processo à Associated Press (AP). Uma segunda reunião está em andamento, mas ainda não aconteceu.

A AP não divulgou o nome da fonte e os detalhes do encontro com Cabello por preocupação de que a pessoa possa sofrer represálias.

A fonte falou sob condição de anonimato porque não está autorizada a discutir as conversas, que ainda são preliminares. Não está claro se as negociações têm a aprovação de Maduro ou não.

Cabello, de 56 anos, viu sua influência no governo venezuelano e nas forças de segurança expandir-se à medida que o poder de Maduro enfraqueceu e foi acusado por funcionários dos EUA de estar por trás de corrupção maciça, tráfico de drogas e até mesmo ameaças de morte contra um senador dos EUA.

De acordo com a mesma fonte, sob nenhuma circunstância os EUA estão a tentar apoiar Cabello ou abrir caminho para substituir Maduro. Em vez disso, o objetivo é aumentar a pressão sobre o regime, contribuindo para os conflitos que os EUA acreditam que estão a ocorrer nos bastidores entre círculos de poder rivais dentro do partido no poder.

Existem contatos semelhantes com outros membros da Venezuela, referiu a fonte, e os EUA estão a analisar o que seria necessário para trair Maduro e apoiar um plano de transição.

Cabello não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Mas, um assessor disse que os EUA têm tentado contatá-lo tentando desesperadamente estabelecer ligação. O assessor rejeitou a noção de que Cabello estava de algum modo a trair Maduro, dizendo que Cabello só se encontraria com os americanos com a permissão do presidente e se isso contribuir para levantar as sanções que responsabiliza por prejudicar a economia dependente do petróleo.

O assessor falou sob condição de anonimato porque não está autorizado a discutir publicamente assuntos políticos.

Uma fonte familiarizada com o encontro de julho disse que Cabello pareceu experiente e chegou ao encontro com o enviado apoiado pelos EUA, bem preparado, com uma compreensão clara dos problemas políticos da Venezuela. A pessoa também falou sob condição de anonimato porque não está autorizada a discutir o assunto.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo