América do Norte | América Latina | Segurança

EUA denunciam manobra agressiva de avião militar venezuelano

Um avião caça venezuelano fez recentemente uma “abordagem insegura” a uma aeronave da Marinha dos EUA que sobrevoava no espaço aéreo internacional, “colocando em risco a segurança da tripulação e comprometendo” a missão da aeronave, informaram os militares dos EUA no domingo.

O incidente, que ocorreu na sexta-feira, envolveu um avião caça venezuelano SU-30 Flanker “de fabricado na Rússia” e um avião EP-3 Aries II da Marinha dos EUA que realizava uma missão de “deteção e monitorização”, informou o Comando Sul dos EUA.

Num tweet de domingo, o organismo revelou que o incidente aconteceu no espaço aéreo internacional sobre o Mar do Caribe.

“Depois de rever a documentação em vídeo, determinamos que o caça de fabrico russo atacou agressivamente o EP-3 a uma distância insegura no espaço aéreo internacional por um período prolongado de tempo, colocando em risco a segurança da tripulação e colocando em risco a missão EP-3”, refere o documento.

Os militares da Venezuela reagiram no domingo acusando a aeronave dos EUA de violar “a segurança das operações aéreas e os tratados internacionais”. Os militares informaram que o alto comando estratégico venezuelano “procedeu a interceptar a aeronave através de dois aviões da Força Aérea Bolivariana com a intenção de aplicar os protocolos internacionais estabelecidos pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO). Como a aeronave dos EUA não cumpriu tais protocolos, foi forçado a desocupar (o espaço aéreo venezuelano).”

Comando Sul insiste, na sua declaração que o “regime de Maduro continua a minar as leis internacionalmente reconhecidas e demonstra o seu desprezo pelos acordos internacionais que autorizam os EUA e outras nações a conduzirem com segurança vôos no espaço aéreo internacional”.

“Apesar do sofrimento do povo venezuelano, da infra-estrutura vital do seu país estar a desmoronar e das crianças passarem fome, Maduro opta por usar os preciosos recursos do seu país para se envolver em atos não provocados e injustificados”, acusa o Comando.

Segundo a Venezuela, mais de 76 aeronaves dos EUA tentaram entrar no espaço aéreo venezuelano em 2019. No mês passado, uma aeronave russa interceptou três aeronaves americanas no espaço aéreo internacional sobre o Mar Mediterrâneo, três vezes em pouco menos de três horas. E em maio, os EUA interceptaram dois bombardeiros russos e caças ao largo da costa do Alasca ao longo de dois dias.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo