América do Norte | América Latina

Venezuela denuncia documento dos EUA para intervir nas eleições legislativas

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela, Jorge Arreaza, deu uma conferência de imprensa na quinta-feira, na qual divulgou o conteúdo de uma nota diplomática enviada pelos Estados Unidos (EUA) a vários países como parte da sua agenda intervencionista contra o país.

O documento foi denominado “O governo dos EUA solicita apoio para uma declaração sobre eleições justas da Assembleia Nacional da Venezuela”.

Arreaza leu o texto que considera uma violação flagrante contra a soberania e a vontade popular e democrática do povo venezuelano.

No texto, os EUA reconhecem o seu interesse em formar um governo de transição na Venezuela e ratificam a sua disposição de manter medidas coercivas unilaterais contra este país para forçar a saída do presidente Nicolás Maduro.

“Eles insistem na mudança de governo para convocar eleições a seu critério, de acordo com os seus padrões, o que na Venezuela não acontecerá porque o povo é soberano”, disse o ministro.

Arreaza também explicou que os EUA “querem-se atribuir os processos de diálogo, supostamente alcançados por meio de bloqueios e sanções económicas”, no entanto, lembrou que o presidente Maduro foi “o primeiro a apelar ao diálogo”.

“Este documento do império dos EUA é um absurdo que não faz sentido”, disse Arreaza, acrescentando que não imagina “nenhum governo sério” assinando esse documento.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo