América do Norte | América Latina | Crise

Venezuela: EUA advertem que detenção de Edgar Zambrano terá consequências

Os Estados Unidos exigiram a libertação do deputado Edgar Zambrano, que foi preso na quarta-feira em Venezuela depois de um golpe fracassado contra o governo de Nicolas Maduro, alertando que, caso contrário “haverá consequências”, de acordo com uma mensagem publicada na conta do Twitter da embaixada norte-americana, fechada, em Caracas.

“A detenção arbitrária” do Vice-Presidente do Parlamento de maioria da oposição “é ilegal e indesculpável. Maduro e os seus cúmplices são diretamente responsáveis pela segurança de Zambrano. Se não for libertado imediatamente, haverá consequências”, refere a publicação.

Zambrano é um dos dez deputados contra quem o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) ordenou um julgamento pela rebelião de um grupo de soldados em 30 de abril, sob a liderança de Juan Guaidó, líder parlamentar reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países.

O deputado foi intercetado no final da tarde no seu veículo por agentes do serviço de inteligência e transferido para a sede da agência em Caracas.

O pessoal diplomático dos Estados Unidos na Venezuela deixou o país de Maduro ter cortado relações em 23 de fevereiro.

A medida foi tomada depois da tentativa de Guaidó de fazer no país a doação de alimentos e suprimentos médicos dos Estados Unidos, bloqueadas pelos militares, depois de Maduro ter denunciado essa ajuda como sendo uma “desculpa” para a intervenção militar na Venezuela.

No entanto, a conta do Twitter da sede continuou a operar sob o nome de “Embaixada Virtual”.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e altos funcionários da Casa Branca têm argumentado repetidamente que “todas as opções estão sobre a mesa” no caso da crise venezuelana, sem descartar uma ação militar.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo